51 2108.2108
Área do Associado
esqueci minha senha

Notícias

19/10/2021

Presidente diplomado da ACI anuncia olhar inovador para Vale do Sinos

Clique na imagem e veja a galeria completa

Após as palavras do presidente Marcelo Lauxen Kehl, o presidente eleito da ACI, Diogo Leuck, comandou a cerimônia de diplomação dos presidentes da Fundação Semear e da Fundamental, dos conselheiros fiscais e dos vice-presidentes para a gestão que se iniciará em janeiro de 2022, que subiram ao palco. 

Em seu pronunciamento, cumprimentou a prefeita e ex-presidente da ACI Fátima Daut e as demais autoridades presentes, ex-presidentes da ACI e dirigentes de entidades parceiras, patrocinadores e apoiadores. Agradeceu ao presidente Marcelo Kehl pela indicação feita, que foi referendada pelo Conselho de Ex-presidentes e aclamada pelos associados, para presidir a entidade, que tem mais de mil empresas associadas, distribuídas em 43 municípios em cinco estados (Ceará, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul), além de 21 colaboradores e duas fundações, a Semear, atuante em projetos e programas sociais com foco no desenvolvimento social e comunitário, que completou 25 anos no dia 17, e a Fundamental, elo entre a necessidade empresarial e a busca de alternativas em consonância com o meio ambiente, que comemorou 23 anos nesta segunda-feira. Também fez um agradecimento especial ao diretor Marco Kirsch, que foi um grande articulador e mentor de inúmeras ações da casa. “Obrigado, Marco! Honraremos teu legado com muito trabalho e dedicação, como tu sempre fizeste na ACI”, enfatizou.

Em razão da passagem precoce do diretor Marco, Leuck optou por pouco renovar as lideranças, buscando assim manter o histórico da casa nas vice-presidências, que passarão a contar com um novo executivo em breve. Destacou que a ACI continuará a disseminar o conhecimento, que é, ao seu ver, a melhor maneira de promover o desenvolvimento sustentável. “Daremos ainda mais ênfase à inovação, seja na forma, como com os webinares, cursos on-line, eventos híbridos e até o network à distância, como também com novos produtos e serviços realmente disruptivos. Para tanto, iremos reforçar antigas parcerias e buscaremos outras novas”, acrescentou.

Três novos pilares serão inseridos

Mas o que permitiu à ACI chegar até este momento, que será mantido e incrementado, certamente não será suficiente para levá-la aos próximos 101 anos. Por isso, Leuck disse que a nova gestão trabalhará intensamente a inovação, além de incluir mais três pilares no foco de ações: transformação digital, sustentabilidade e internacionalização. “A pandemia já nos mostrou que quem se digitalizou ganhou espaço e mercados em detrimento dos que não inovaram nesse quesito. Portanto, é fundamental que a ACI seja referência como entidade e exemplo aos associados em transformação digital. E faremos isto através do engajamento e empoderamento das pessoas neste processo. Essa tarefa será coordenada, de forma transversal em todos comitês, pela vice-presidência de Inovação e Tecnologia”, acrescentou.

Ajustes na estrutura diretiva

Vice-presidência de Governança e Sustentabilidade

A sustentabilidade é requisito fundamental para que possam ser aproveitados os mercados que se abrem ou reabrem para os produtos brasileiros, principalmente na Europa e Estados Unidos, além do próprio mercado interno. Mercados que buscam diminuir a dependência dos Asiáticos, mas que exigem custos compatíveis, além do respeito ao social, ambiental e cultural. A vice-presidência que passa a se chamar Governança e Sustentabilidade terá a importante missão de disseminar as boas práticas de gestão através destes conceitos. E o Comitê de Regional de Recursos humanos (CRERH) passa a integrar esta vice-presidência. Luis Arthur Mendes da Silva permanece na coordenação deste.

Comitê de Internacionalização

Internacionalizar a ACI também faz parte da estratégia em guiar os associados para o mercado global. A aliança com câmaras de comércio de outros países, a estruturação de missões empresariais e comercias internacionais, a disseminação de conhecimentos e a conexão dos associados com empresas estrangeiras será prática constante da entidade. Esta missão caberá ao Comitê de Internacionalização, que inicia suas atividades dentro da vice-presidência da Indústria. Marcelo Sperb vai coordenar essa pasta.

Vice-presidência de Gestão Estratégica

Para dar foco e manter a coordenação de mais de 200 empresários voluntários, 21 colaboradores e quatro assessorias, a nova diretoria da ACI criou a Vice-presidência de Gestão Estratégica, que, também de forma transversal, atuando com todos vice-presidentes, irá garantir a implementação do plano estratégico da entidade. “Para que este plano dê certo mesmo, precisamos do engajamento de todos. Alinhem os seus propósitos (o propósito de cada um de vocês) com o propósito da ACI, que é promover o desenvolvimento sustentável dos associados e da região. Pois, além de sucesso garantido, vocês verão que bela recompensa a vida nos guarda”, finalizou.