51 2108.2108
Área do Associado
esqueci minha senha

Notícias

03/02/2021

Transformações no setor elétrico vão da geração ao controle do consumo de energia na palma da mão

As transformações no setor elétrico e as novas possibilidades que surgem com a digitalização da gestão da energia em empresas e residências foram o tema de webinar realizado nesta quarta-feira, 3, com os palestrantes Rodrigo Holtermann Lagreca, fundador da HomeCarbon Energy Solutions e diretor do Projeto Energia das Coisas, e Gilson Paulillo, consultor e engenheiro eletricista, e a mediação da vice-presidente de infraestrutura da ACI, Gladis Killing. O evento contou com o patrocínio de Sicredi Pioneira RS.

De acordo com Paulillo, a energia é o principal insumo utilizado na produção e operação de vários setores, sendo responsável, em alguns deles, por 15% dos custos. Por precisar ser paga e preservada, a eficiência energética ganha importância e o auxílio de tecnologias e dispositivos diversos, como ferramentas de Internet da Coisas (IOT, na sigla em inglês), em ambientes empresariais e residenciais.

Descentralização da geração, digitalização e descarbonização (substituição por processos mais renováveis) são algumas das tendências para o setor, que da geração ao consumo será cada vez mais disruptivo. Carros elétricos, cidades inteligentes e ambientes industriais e residenciais monitorados remotamente para otimização do consumo de energia ganharão destaque nos próximos anos. Outra 'onda forte', como Paulillo o define, é o crescimento da geração e do armazenamento de energia, especialmente em empresas, para uso em períodos de operação. “Em todas elas, o consumidor terá papel de destaque”, afirma.

A geração de energia fotovoltaica, a partir da instalação de painéis solares, também deve crescer e ser utilizada para iluminação de ambientes e redução do impacto econômico e ambiental. Da mesma forma, as micro e pequenas empresas deverão, cada vez mais, adotar sistemas de mapeamento de consumo e soluções tecnológicas baseadas na IOT para melhorar equipamentos, sistemas e processos.

“O uso de técnicas inteligentes como Big Data vai permitir antecipar problemas, identificar oportunidades de redução de consumo e geração de valor aos programas de eficiência energética”, acrescenta Paulillo, que destaca termostatos, lâmpadas inteligentes, sensores diversos e equipamentos especialmente desenvolvidos como inovações que vão proporcionar reduções significativas no consumo de energia.

Projeto Energia das Coisas

Apps na palma da mão que permitem analisar dados, tomar decisões assertivas, reduzir custos e aumentar a eficiência energética já são uma realidade. Um deles é o do Projeto Energia das Coisas.

Criado em 2017 e atualmente na terceira geração, ele permite ao usuário empoderar-se sobre o consumo de energia através da instalação de dispositivos junto ao quadro geral de energia, tanto em residências e empresas quanto em outras aplicações. “São equipamentos ou conjuntos de equipamentos compactos e integrados a sensores em todo o ambiente que monitoram o consumo e entregam resultados expressivos”, explica Rodrigo Lagreca.

Informações estão disponíveis no site www.energiadascoisas.com.br e os dispositivos podem ser adquiridos em e-commerces como Magalu, Mercado Livre e Amazon, sendo que a instalação deve ser feita por profissional especializado. A solução é facilmente incorporada ao ambiente, sem a necessidade de fazer mudanças.

Os dados de consumo captados no ambiente por uma rede de wifi são armazenados em nuvem. Após o processamento, as informações são disponibilizadas na tela máster do app do usuário e indicam, em tempo real, o energia.

O aap dispõe de diversas telas com informações e funções diferentes. Uma delas indica o consumo por faixas de seis horas, como o dia da semana e a semana de maior consumo de energia. “Com isso, o usuário residencial pode definir se é viável usar o sistema de bandeira branca de energia, que tem tarifa mais em conta dentro de alguns níveis de consumo”, explica Lagreca. Segundo ele, o app do projeto Energia das Coisas permite monitorar simultaneamente o consumo de diversos ambientes, como escritório, residência e casa de praia, por exemplo.

Outras telas permitem saber o ganho com a instalação de painéis fotovoltaicos, gerar relatórios e, no caso de uma empresa, qual produto teve maior consumo para ser produzido. “As possibilidades são bastante amplas”, explica.

O Energia das Coisas possui atualmente 230 usuários registrados, 379 mil horas de transformação e 141 milhões de envios de dados realizados. “Acreditamos que um número maior de usuários possa se beneficiar da solução, que entrega conveniência, controle e economia na palma da mão. É fácil de usar, entrega informações objetivas, permite ligar e desligar equipamentos remotamente e gera economia que aparece na conta da luz”, finaliza Lagreca.