51 2108.2108
Área do Associado
esqueci minha senha

Relatório
de Gestão 2006/2007

Abril de 2006

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha, está recebendo inscrições para as empresas calçadistas interessadas em participar da 38º Feira Internacional de Calçados, Acessórios de Moda, Máquinas e Componentes - Francal 2006. Para ser selecionada, a empresa deverá enquadrar-se nos "Critérios SEDAI para Participação em Feiras".

 


Segundo o Vice-presidente de comércio da ACI de Novo Hamburgo, Natalino Conci, a economia da cidade depende, basicamente do calçado, mas não 100%, pois tem o comércio e os serviços. Conforme a secretaria municipal de Indústria e Comércio (Semic), ao todo são 8.177 estabelecimentos comerciais, 298 bares, 511 lanchonetes e 806 restaurantes. Natalino comenta que ouvem-se conversas de que a cidade perdeu o título de capital do Calçado, passando a ser uma prestadora de serviços.

 


Além de confirmar que estará na abertura oficial da 30ª Feira Internacional de Couros, Químicos, Componentes e Acessórios, Equipamentos e Máquinas para Calçados e Curtumes (FIMEC), o governador Germano Rigotto desvendou o novo leque de feiras a ser realizado em Novo Hamburgo: o RS Fashion Week, evento que deve acontecer paralelamente à Fenac Moda Show, que acontecerá em novembro. Serão desfiles, palestras e Workshops. "Estamos com uma grande equipe envolvida neste projeto, buscando apoio junto à Lei de incentivo à Cultura e à Lei Rouanet", disse o presidente da Fenac S/A, Júlio Camerini, no Palácio Piratini. Camerini liderou a comitiva hamburguense - o secretário de Indústria, Comércio e Serviços de Novo Hamburgo, Diego Martinez, o vice-presidente da ACI-NH/CB/EV, João Bruxel e pela Cinderela do Calçado, Vanessa Sperb.

 


Manifestação Pró-Complexo Coureiro - Calçadista - ida a Brasília para chamar a atenção do governo federal para os problemas que atormentam o setor - começa a receber novas sugestões e, conforme o número de apoiadores aumenta surgem também opiniões divergentes quanto à pauta e ao formato da mobilização. O Prefeito de Campo Bom, Giovani Feltes, e a vice-presidente de Serviços da ACI-NH/CB/EV, Fatima Daudt, reuniram-se com os deputados federais Júlio Redecker (PSDB) e Tarcísio Zimmermann (PT) a fim de buscar apoio da bancada gaúcha no ato que vai culminar com uma marcha na capital federal.

 


A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI-NH/CB/EV) através da sua Comissão Antipirataria no Calçado promove uma reunião almoço/prato principal com o procurador de justiça do Rio Grande do Sul, Cláudio Bonatto. Ele falou aos participantes sobre As Formas Práticas de Combate á Pirataria. Segundo ele, a Pirataria e o Contrabando causam prejuízos enormes ao comércio, à indústria, ao setor de serviços, à sociedade e aos cofres públicos.

 


A ACI-NH/CB/EV doou dois monitores e 17 CPUs de computadores para a Fundação Semear, que nos próximos dias deverá repassar os equipamentos de informática para organizações sociais integrantes de seu cadastro. A entrega ocorreu na sede da fundação, que fica no primeiro andar da ACI, em Novo Hamburgo. "Agora estamos fazendo contato com outras empresas para conseguirmos também mais monitores", salienta a coordenadora-executiva da Fundação, Helena Ieggli Thomé, acrescentando que algumas organizações necessitam apenas de CPUs, citando aquelas que foram alvo de roubo.

 


A manifestação Pró-complexo Coureiro-Calçadista ganha apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas de Novo Hamburgo, ratificada pela presença na reunião preparatória, na Prefeitura de Campo Bom, do diretor financeiro-administrativo, Júlio Sorgetz, que passa a integrar o Comitê Gestor do movimento. "Se não fizermos nada, o Sul pode se desertificar de indústrias", destacou, comprometendo-se a sensibilizar as CDLs de toda a região. Já integram o Comitê o vice-presidente da ACI-NH/CB/EV, Ernani Reuter, representando o empresariado, e os prefeitos de Campo Bom, Giovani Feltes; de Dois Irmãos, Renato Dexheimer, e de Igrejinha, Elir Domingo Girardi.

 


Pela primeira vez na história da ACI-NH/CB/EV, a entidade está contando com um Departamento de Marketing - vinculado à vice-presidência de Comunicação. Quem está no comando é Cândida Schmitt. Segundo ela esta sendo feito um novo planejamento das atividades para os próximos anos e para mostrar a representatividade da entidade.

 


O Conselho Jurídico da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha promove o 5° Papo com Café. O evento ocorrerá na sede da entidade e debaterá sobre o tema Segurança, Pequenas Ações que Podem Proteger sua Família, administrada pelo consultor Adriano Fleck.

 


A ACI-NH/CB/EV vai participar do Conselho que congregará entidades e empresas para discutir ações relacionadas aos programas do Ministério do Trabalho e Emprego, principalmente o Consórcio da Juventude, em que o Primeiro Emprego está inserido. O Conselho foi criado quando o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, esteve na capital gaúcha. "Somos a única ACI a participar deste Conselho. Novo Hamburgo deverá ser uma das cidades a centralizar a segunda etapa do Consórcio da Juventude", disse o presidente da ACI, Flávio Ficher.

 


A ACI-NH/CB/EV promove seu tradicional Prato Principal com o diretor geral de Planejamento de Produto e Gerenciamento de Programas para a GM do Brasil, América Latina, África e Oriente Médio, Sérgio Luiz Pegoraro Rocha. Ele falará sobre o desenvolvimento de produtos na indústria automobilística.

 


A notícia do novo pedido de revisão causou indignação entre lideranças locais. O Presidente da Comissão Especial Pró-Trensurb da Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo, vereador Ralfe Cardoso, que também acompanhou ontem a votação, destaca a frustração. O vice-presidente de Infra-Estrutura da ACI-NH/CB/EV, Edgar Luiz Fedrizzi Filho, também aponta falta de sensibilidade. "A comunidade da região é que sofre com esse atraso na vinda do trem. É uma burocracia e falta de sensibilidade do TCU que afeta todos nós por causa de interesses particulares", diz Fedrizzi.

 


Estância Velha é mais uma cidade da região a apostar na instalação de Câmeras de vigilância para diminuir o índice de criminalidade. O sistema será testado por 13 dias. O Projeto de vigilância eletrônica na cidade está sendo discutido há cerca de dois anos e conta com apoio de entidades como o Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro), a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e a Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha.