51 2108.2108
Área do Associado
esqueci minha senha

Notícias

22/12/2017

Sessão da Assembleia é encerrada sem votação do projeto de regime fiscal

Marco Kirsch entre os deputados Lucas Redecker e Fixinha

Marco Kirsch entre os deputados Lucas Redecker e Fixinha

Clique na imagem e veja a galeria completa Paula Cassol, Ronald Krummenauer e Marco Aurélio Kirsch

ACI esteve presente e entrou em contato com deputados estaduais

Novo Hamburgo/RS - Com previsão de entrar novamente em pauta no final de janeiro, a sessão extraordinária da Assembleia Legislativa, ocorrida na sexta-feira (22), foi encerrada sem que os deputados votassem a adesão do Rio Grande do Sul ao Regime de Recuperação Fiscal. A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha, através do diretor de Relações Institucianais, Marco Auréilio Kirsch, esteve na sessão e também manteve contato com deputados estaduais, entregando o posicionamento da entidade.

Na quinta-feira (21), a entidade já havia encaminhado carta aos deputados, ressaltando que "o Rio Grande do Sul enfrenta a realidade desalentadora do comprometimento de mais de 70% da Receita Corrente Líquida (RCL) nos gastos com o pessoal, incluindo neste cálculo as despesas com pensões e assistência médica".

A ACI pontuou, ainda que "governos estaduais têm, sucessivamente, buscado alternativas nas fontes mais diversas para remunerar o funcionalismo público, cobrir os rombos e volumes de pensões crescentes de estatais como a CEEE, a CORSAN e a CORAG, mas a maioria desses esforços tem restado insuficientes mediante os compromissos que crescem de forma geométrica".

A ACI complementou que, ao longo da história, foram tomados depósitos judiciais, renegociadas as dívidas com o Governo Federal, majorado os tributos e taxas, enquanto diminuem os investimentos tão necessários em nossa infraestrutura, educação, saúde e segurança e, por este motivos, conclamava para que não se repetissem nas galerias e arredores da Assembleia Legislativa as cenas de divisão em prol de interesses corporativos, partidários e ideológicos. "Esta oportunidade não só é rara, mas absolutamente necessária para a sobrevivência financeira do Estado do RS", ressaltou a ACI.

De Zotti - Assessoria de Imprena
Em 22/12/2017