51 2108.2108
Área do Associado
esqueci minha senha

Notícias

09/09/2019

Empresa de Novo Hamburgo doa produto antipichação para proteger patrimônio histórico da capital gaúcha

Na tarde desta segunda-feira, testes foram realizados com a presença do gerente da indústria hamburguense
Em agosto deste ano, Porto Alegre recebeu de volta um patrimônio histórico e cultural revitalizado. Num investimento superior a R$ 5 milhões realizado pela Prefeitura, o Largo dos Açorianos foi recuperado.

Localizado em frente à sede da OAB/RS e a poucos metros do Centro Administrativo Fernando Ferrari, o local teve a histórica Ponte de Pedra revitalizada, novos espelhos d´água, "arquibancadas" para sentar e contemplar a natureza, novo paisagismo, passeio público com acessibilidade, nova iluminação, entre outras melhorias.

Pois quatro dias após a inauguração do espaço, pichadores já tinham deixado suas pegadas imundas e repugnantes.

O ataque dos vândalos logo se tornou público numa postagem do secretário municipal de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário, na sua conta no Twitter. Ele publicou imagens da pichação e, junto, registros de funcionários da Prefeitura de Porto Alegre limpando o local.

O episódio rapidamente chegou ao conhecimento do gerente nacional de vendas da Liko Tintas Industrias, Gérard Felipe Heraud Szupszynski. A indústria - antiga Liko Química - com sede no bairro Canudos, em Novo Hamburgo, e tem expertise e produtos especializados antipichação. "Procurei o secretário Ramiro para falar da nossa possibilidade de contribuição. Ele logo acenou de forma positiva", explica o gerente.

A partir desse alinhamento, o gerente detalhou a iniciativa ao diretor geral da Liko, Flávio Schmidt, que avaliou a doação de forma positiva a contribuir com um importante patrimônio dos gaúchos, e autorizou o fornecimento. Também participou desse diálogo da indústria hamburguense com a Prefeitura de Porto Alegre o diretor de Relações Institucionais da ACI-NH/CB/EV, Marco Kirsch.

Serão doados cerca de 250 litros de tinta. Nesta segunda-feira (9), Szupszynski e técnicos da Prefeitura estiveram no Largo dos Açorianos realizando testes para definir cores e texturas. "Além de pichação, esse material torna mais fácil limpar urina, bebida alcoólica e até poluição. Com os procedimentos corretos, os funcionários da Prefeitura poderão fazer a limpeza e a manutenção com um pano, de forma simples", detalha.

POR QUE PORTO ALEGRE?

A Liko foi fornecedora da Prefeitura de Porto Alegre com produtos antipichação por vários anos, principalmente nos governos dos ex-prefeitos José Fogaça e José Fortunati. Faz alguns anos, o Executivo não promove mais licitações para adquirir esse produto.

Na prática, o líquido antipichação é cerca de 50% mais caro do que a tinta normal. Mas, quando se pensa no resultado - a remoção imediata da sujeira - se atesta que o investimento tem suas vantagens e benefícios. "Acreditamos que as prefeituras devam considerar esse tipo de aquisição. Nossa doação também tem a função de mostrar o quanto isso pode fazer a diferença", avalia Szupszynski.

Ele acrescenta que a Liko venceu algumas concorrências e empresas concorrentes venceram outros certames licitatórios. Segundo ele, há espaço no mercado para diferentes produtos, que representarão cidades mais limpas. "Temos um viaduto em que o material antipichação foi aplicado há quase nove anos. E até hoje vem sendo possível fazer a remoção de pichações", relata o gerente.

NOVO HAMBURGO

Em administrações anteriores, o gerente procurou o Executivo hamburguense para sugerir que o município investisse nesse tipo de material, fazendo licitação para alguns espaços, como prédios públicos e áreas mais visadas pelos pichadores. Contudo, na época não houve interesse.

Szupszynski comenta que está aberto para conversar com a atual administração a fim de trazer mais detalhes da eficácia do produto. Ele tem conhecimento de ataques dos pichadores e sabe a diferença que faz ter uma cidade bonita e limpa.

Fonte: Site Martin Behrend